CT paraolímpico em São Paulo mudará modelo de treinamento

A construção do centro de treinamento em São Paulo mudará o modelo de treinamento dos esportes paralímpicos. Se até o último ciclo os atletas treinavam espalhados, com suporte de alguns programas e centros de referência, o trabalho passará a ficar centralizado quando o CT for inaugurado.

– Vamos estimular os atletas a irem para lá pois é uma maneira de otimizar os recursos – disse Parsons, frisando que, até 2016, está previsto a construção de apenas este CT, que receberá 14 modalidades.

Com a criação do CT, previsto pelo governo de São Paulo para ser inaugurado no fim de 2014 – O CPB trabalha com segundo semestre de 2015 –, a tendência será o fim dos centros de referência pelo país. Segundo Parsons, a ideia é migrar os esportes destes centros para o CT. E, no local, realizar a preparação final para os Jogos Paralímpicos Rio-2016.

Segundo o dirigente, a criação do CT segue o modelo adotado pelas principais potências paralímpicas como, por exemplo, a China, líder no quadro de medalhas.

– O que chama a atenção é que países que estão atrás do Brasil no quadro, como Alemanha, Espanha e Holanda, já têm CTs. E são nações que estão crescendo e ameaçando o Brasil – disse o presidente do CPB.

Fonte: Lancenet