Vôlei Paraolímpico: Veja reportagem sobre a superação dos atletas do Vasco

Sabedoria, vontade e superação são algumas das palavras que não saem da boca dos atletas paralímpicos de vôlei sentado do Vasco da Gama. Único time do Rio de Janeiro com representantes nessa modalidade, a equipe foi criada há três anos e em 2012 participou pela primeira vez do Campeonato Brasileiro da modalidade.

– Pra mim é muito importante fazer parte desse grupo, sem isso aqui eu não sou nada – afirma o levantadorEdson Bastos.

Apesar do jogo apresentar algumas pequenas modificação, como a altura da rede, durante o treinamento não existe nenhum tipo de diferenciação. São flexões, abdominais e alongamentos, tudo sob o comando da técnica Jaqueline, que não desvia da fama de durona.

– Eu fui atleta, fui treinada no regime militar e eu falo pra eles que vão treinar no regime miliar – diz a treinadora.

Todo o esforço é por um objetivo bem claro: fazer com que o time do Vasco seja reconhecido nacionalmente, não só como uma equipe pioneira, mas uma equipe campeã.

– Todo mundo sabe que não é dinheiro, aqui a gente ganha o maior valor que a gente pode ter, que é a alegria.

Muitos dos atletas sofreram acidentes recentemente e tiveram que ser amputados. É o caso de Renato, que perdeu a perna há um ano.

– Quando eu sofri meu acidente eu falei, pô acabou o mundo para mim, vou ser discriminado na sociedade, mas isso aqui abriu as portas.

O Campeonato Brasileiro de Vôlei Sentado só começa em novembro e o objetivo do time é alcançar a primeira divisão da competição e conta com o reforço do ponteiro Jean Diniz.

– Tô vindo para somar aqui junto com o Vasco, vamos lá levar o Vasco para primeira divisão esse ano.

Esse é time de vôlei paralímpico do Vasco. O vôlei da Alegria.

– Eu costumo dizer que eu não perdi nada, eu ganhei foi muita coisa – afirma Renan.

Fonte: GloboEsporte.com