Comunicado oficial do CPB: Andrew Parsons é reeleito presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro

 

Em Assembleia na tarde desta quarta-feira, 13, em Brasília (DF), o atual presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Andrew Parsons, foi reeleito por aclamação para comandar a entidade nos próximos quatro anos. Ele encabeça chapa única, que conta com os vice-presidentes Mizael Conrado e Ivaldo Brandão. De acordo com o estatuto do CPB, o mandatário tem direito a uma reeleição. Parsons assumiu o comitê em 2009, portanto, não poderá concorrer no pleito de 2017.

O presidente apresentou em assembleia, aberta à imprensa, os resultados do último quadriênio nos âmbitos esportivos, administrativos e financeiros. Ele também mostrou a previsão orçamentária do CPB para o ano de 2013, que gira na casa de R$ 100 milhões.

Em seu primeiro mandato (2009-2013), a verba destinada ao esporte paralímpico foi de R$ 175 milhões, quase R$ 44 milhões por ano. No ciclo anterior, entre 2005 e 2008, o orçamento total fora de R$ 77 milhões. O aumento se deve graças às parcerias com o Governo Federal por meio do Ministério do Esporte, o Governo do Estado de São Paulo, a Prefeitura do Rio de Janeiro e os patrocínios da Caixa Econômica Federal e Infraero.

Outro avanço foi na quantidade de pódios alcançados nos Jogos Paralímpicos. De Pequim-2008 a Londres-2012, o Brasil saltou do nono para o sétimo lugar no quadro de medalhas, com 21 ouros contra 16 nos Jogos da China.

Além de presidentes e representantes da confederações de esportes paralímpicos do país, as deputadas federais Mara Gabrilli (PSDB-SP) e Rosinha da Adefal (PT do B-AL). “O Brasil exala superação e muito disso acontece pelo esporte. Parabenizo o CPB pela serenidade que trata o esporte e a energia que passa a todos os brasileiros”, disse Mara Gabrili.

“Quero agradecer à diretoria executiva do Comitê Paralímpico Brasileiro, aos conselhos Deliberativo, Fiscal e de Atletas, aos presidentes de confederações, aos funcionários do CPB por confiarem no nosso trabalho e pelos quatro anos de conquistas e marcas históricas que o movimento paralímpico brasileiro presenciou. Estamos prontos para os próximos quatro anos”, disse Parsons.

“O orçamento previsto para o próximo quadriênio é mais do que havíamos previsto inicialmente para tentarmos chegar ao quinto lugar no quadro de medalhas dos Jogos Paralímpicos do Rio-2016”, afirmou Parsons.

Fonte: CPB