Uma em cada sete pessoas na Terra apresenta deficiência ou limitação

Mais de 1 bilhão de pessoas no mundo vivem com algum tipo de deficiência, de acordo com uma nova pesquisa internacional . Isso é cerca de 15 por cento da população mundial, ou quase um em cada 7 pessoas.

Os números vêm de um esforço conjunto da Organização Mundial de Saúde e do Banco Mundial . A última vez que se teve uma estimativa da prevalência de incapacidades foi na década de 1970, quando a OMS constatou que era cerca de 10 por cento. O relatório atual sugere que a estimativa de 15 por cento irá crescer à medida que a população mundial avança em expectativa de vida.

Como nos anos 70, os números de hoje são na melhor das hipóteses, uma aproximação. Muitos países não coletam os dados com cuidado, e definições de deficiência diferem de lugar para lugar. O Banco Mundial e a OMS buscaram englobar pessoas que têm dificuldade para enxergar, ouvir, andar,problemas de memória, limitação de cuidado pessoal ou de comunicação. Mundialmente, a deficiência mais comum em pessoas com menos de 60 anos é a depressão profunda, seguida pela deficiência auditiva e deficiência visual.

(Veja: Mais de um bilhão de pessoas são portadoras de deficiência, diz relatório da ONU)

O relatório inclui um prefácio do físico teórico Stephen Hawking , que não consegue se alimentar, vestir ou falar sem ajuda, em razão da esclerose lateral amiotrófica, uma doença fatal e geralmente incapacitante. Ele diz que há um dever moral de se ajudar as pessoas com deficiência.

O chefe da OMS, Margaret Chan , oferece-se, além da moral, uma outra razão: “Provavelmente cada um de nós vai estar permanente ou temporariamente deficiente, em algum momento na vida.” Um editorial no jornal médico The Lancet aponta que as acomodações para pessoas com deficiência, tais como cortes de meio-fio, também ajudam a não-deficientes (como pessoas com carrinhos de criança).

Porque os dados estatísticos são importante? A razão é que conhecer a prevalência de deficiência ajuda as organizações a definir prioridades e configurar os programas providos pela OMS e pelo Banco Mundial – medidas que possibilitem às pessoas com deficiência cuidar de si, trabalhar e se locomover.

O relatório não estima o custo total do estabelecimento de tais programas. E também não oferece soluções para o maior desafio: encontrar o dinheiro.

Do original em http://www.npr.org/blogs/health/2011/06/09/137084239/nearly-1-in-7-people-on-earth-are-disabled-survey-finds.

Fonte: DeficienteCiente