Veja as fotos da 5ª edição do Assim Vivemos

O Centro Cultural Banco do Brasil patrocina e recebe, de 05 a 16 de outubro, a quinta edição do Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência, o Assim Vivemos. O evento, que acontece bienalmente, traz uma programação de filmes que instigam uma reavaliação do que a sociedade pensa sobre as pessoas com deficiência e suas possíveis limitações.

Novas perspectivas são dadas ao tema por meio das 28 obras veiculadas durante as duas semanas de festival. Como não poderia deixar de ser, desde a sua criação – em 2003 – o evento conta com uma infraestrutura focada na acessibilidade, com catálogos em Braille, interpretação em LIBRAS, legendasclosed caption, salas com acesso a cadeirantes e audiodescrição.

O Assim Vivemos nasceu quando Lara e Gustavo ainda eram estudantes de cinema da UFF, e realizaram o curta-metragem Cão Guia, cujo enredo narra uma história de amor entre um rapaz e uma moça portadora de deficiência visual. O filme, ao ser selecionado para o festival alemão Wie Wier Leben(Como nós vivemos), levou o casal a encontrar – e se encantar – com os moldes do festival que trazia personagens reais, com a mesma alegria e vivacidade vistas cotidianamente. Assim, brotou o desejo de trazer ao Brasil um evento similar, que desse aos brasileiros o mesmo impacto tido entre o público alemão. Logo, em 2003, aconteceu a primeira edição do festival, já com o patrocínio do CCBB. E da estreia bem sucedida veio a criação do programa televisivo Assim Vivemos, veiculado na TV Brasil.

No circuito, o evento não atua apenas como festival de cinema. A abrangência do Assim Vivemos torna o Festival numa verdadeira celebração da inclusão cultural no Brasil, uma vez que colabora, de forma decisiva, para a inserção de pessoas que usualmente não frequentam programas culturais. “O evento contribui com o incremento da democratização da informação para todos, por ser um evento transdisciplinar e inédito, que junta a arte com as questões importantes das pessoas com deficiência, e por promover o encontro de pessoas de diferentes setores para debater os temas levantados pelos filmes”, complementa Lara Valentina Pozzobon, responsável pelo Assim Vivemos.

Desde a primeira edição, em 2003, os organizadores do evento recebem pedidos de prefeituras, instituições e universidades para exibir o festival em todo o país. Porém, as cidades escolhidas para a itinerância do festival são as que mais manifestaram a necessidade de exibição dos filmes. “São Paulo, Rio e Brasília já conheciam o conceito do Assim Vivemos, através de divulgação em sites. E há também uma demanda reprimida muito clara na área da reflexão sobre e com as pessoas com deficiência”, afirma Lara.

Ineditismo, riqueza de conteúdo e inclusão cultural. São esses os pilares que mantêm, fiel, seu público cativo. “O impacto que o conjunto de filmes causa é revelador: temos um público certo nas cidades em que já realizamos o festival, e a cada ano novos espectadores, a cada sessão, tornam-se novos apaixonados pelo festival e promovem uma divulgação espontânea sempre crescente”, conclui a produtora.

 Assim Vivemos no CCBB

Quatro debates também fazem parte da edição 2011 do Festival Assim Vivemos. Em São Paulo, serão discutidos temas como Surdez e implante coclear; Síndrome de Down – trabalho e vida adulta; Deficiência visual e acessibilidade; Educação Inclusiva.

A programação completa pode ser vista no site oficial do Festival, em http://assimvivemos.com.br/programacao/

Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência Assim Vivemos

Centro Cultural Banco do Brasil – De 3 a 16 de outubro

Rua Álvares Penteado, 112 – Centro

Entrada franca

Fonte: Baobá Comunicação, Cultura e Conteúdo