Edênia e Clodoaldo são convocados para os Jogos de Guadalajara 2011

Os nadadores Edênia Garcia e Clodoaldo Silva foram convocados para os Jogos Parapanamericanos de Guadalajara 2011 e vão representar o Rio Grande do Norte na principal competição das Américas. A convocação foi divulgada na noite de quinta-feira (15) pelo Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPB). O Parapan será disputado de 12 a 20 de novembro, em Guadalajara, no México.

Edênia ficou feliz com mais uma convocação. A nadadora potiguar foca o ouro nos Jogos Paraolímpicos de 2012, em Londres, na Inglaterra, mas vai para Guadalajara confiante na luta por medalhas, mesmo esperando dificuldades. “O meu objetivo maior é Londres. O Parapan vem como um passo a mais, para poder estar cada vez mais perto de Londres. É o maior campeonato das Américas e minhas maiores adversárias no mundo são mexicanas e americanas”, declarou.

Edênia participará pela terceira vez dos Jogos Parapanamericanos. Em Mar Del Plata, na Argentina, em 2003, ganhou quatro medalhas de ouro. No Rio de Janeiro, em 2007, foram mais dois ouros e dois bronzes.

Já Clodoaldo Silva vai disputar seu quinto Parapan. Em 1999, na Cidade do México, conquistou quatro medalhas de ouro; em 2003, em Mar Del Plata, foram seis ouros e uma prata. Já em 2007, foi chamado de “Rei do Parapan” no Rio de Janeiro, faturando sete medalhas de ouro e uma de prata.

“A convocação é um momento especial porque é quando a delegação toma forma. Todos passaram por um ano árduo de qualificação. Vamos levar a equipe brasileira nas 13 modalidades, pois queremos repetir o 1º lugar no quadro geral de medalhas, conquistado no Parapan do Rio, em 2007. Além das medalhas ainda teremos a briga por vaga nos Jogos de Londres em algumas modalidades. Não tenho dúvidas de que temos a delegação mais bem preparada que já enviamos para uma competição internacional. Parabéns a todos os convocados”, disse o presidente do Comitê Paraolímpico Brasileiro, Andrew Parsons

PERFIS


Clodoaldo Silva

Com 32 anos e uma coleção enorme de medalhas, Clodoaldo Silva não tinha nenhuma pretensão na natação paraolímpica até os 16 anos, quando conheceu o esporte como forma de reabilitação. Dois anos depois veio a primeira competição e já três medalhas douradas. Apesar dos anos de conquistas e feitos, o atleta virou celebridade nas Paraolimpíadas de Atenas, em 2004, quando seguiu o feito de levar seis medalhas de ouro e uma de prata em um total de oito provas, além de bater quatro recordes mundiais, cinco paraolímpicos e 11 parapan-americanos, entrando para a história do esporte paraolímpico mundial. Em 2007, Clodoaldo brilhou nos Jogos Parapanamericanos do Rio de Janeiro, com sete medalhas de ouro e uma de prata.

Edênia Garcia
Edênia possui um currículo de medalhas tão poderoso quanto o dos grandes ídolos olímpicos e paraolímpicos brasileiros. Começou na natação por orientações médicas, aos 13 anos, mas foi por incentivo de um dos seus grandes ídolos, o colega de equipe da natação brasileira, Francisco Avelino, que ela fez do esporte a razão do seu sucesso. A atleta possui uma distrofia muscular progressiva, chamada de polineuropatia sensitiva motora, que resulta em dificuldades nas pernas e nas mãos. Em Atenas, nos Jogos Paraolímpicos, Edênia conquistou a principal medalha de sua vida: uma prata nos 50m costas. Em 2010, se tornou a primeira mulher a ser tricampeã mundial paraolímpica. No mesmo ano, foi eleita a melhor atleta paraolímpica pelo CPB e pelo COB.

Fonte: Dez na Rede