Rugby em CR: Preparação com foco no bronze

A menos de uma semana para o Regional das Américas de rugby em cadeira de rodas, Seleção Brasileira se reúne para fase de treinamento
Preparação com foco no bronzeFoto: Joon Ho Kim (jkim@usp.br)

De olho no torneio de rugby em cadeira de rodas mais importante das Américas, que começa na próxima segunda-feira, dia 19, em Bogotá (Colômbia), a Seleção Brasileira vai se concentrar no Rio de Janeiro nos próximos dias para uma semana de treinamento forte. Para Luiz Claudio Pereira, vice-presidente do CPB e chefe de missão da delegação brasileira na competição, esta é uma etapa muito importante para o Brasil alcançar seu objetivo:

“Essa semana de treinamento é fundamental. Por ser um esporte coletivo, a união da equipe é um diferencial. Esse encontro é importante para os atletas se entrosarem e chegarem afinados na Colômbia. Além disso, é o momento da interação entre delegação técnica e médica e hora dos ajustes finais. Sonhamos com o 3º lugar e vamos lutar bastante para conquistar esta meta”, afirmou.

Para alcançar a tão desejada medalha de bronze, o Brasil terá adversários fortíssimos pela frente: Argentina, Canadá, Colômbia, Estados Unidos e México também participam do torneio e prometem grandes disputas. Canadá e Estados Unidos são os favoritos, com algumas das maiores seleções do mundo na modalidade.

Logo atrás, vem a Argentina, único país latino-americano que participou do Mundial 2011 da modalidade. A Colômbia, com o apoio da torcida local, também aparece com força. Ex-jogador de rugby e presidente da ABRC, Eduardo Mayr, levará a experiência aos jogadores da Seleção, na Colômbia.

“Vamos buscar ser os melhores da América do Sul e Central. Isso significa que queremos chegar à frente da Colômbia, que jogará com a torcida a favor, do México, e da Argentina, nosso rival histórico”, apontou Eduardo.

Alexandre Taniguchi, apontado pelo técnico Rafael Gouvea como destaque do grupo brasileiro e eleito melhor atleta do torneio Maximus 2009, lembra de alguns confrontos contra a Argentina.

“Estamos muito empolgados, vamos com bastante vontade buscar o pódio. Já joguei cinco vezes contra a Argentina: perdemos três e vencemos duas. Queremos igualar esse resultado”, disse Alexandre.

É uma boa chance para o Brasil se firmar como uma das forças do continente no esporte. O rugby é uma modalidade relativamente nova no Brasil, mas já mostra uma evolução evidente. De 2008 para cá, mais de 10 equipes participam do Campeonato Brasileiro, que já possui duas divisões. Na Seleção que irá defender o País na Colômbia, os jogadores são oriundos dos estados de São Paulo, Santa Catarina e Rio de Janeiro.

Segundo a IWRF (Confederação Internacional de Rugby em Cadeira de Rodas), o Brasil é o país que tem o melhor programa de desenvolvimento da modalidade na América Latina, fato que comprova que o CPB, ao lado da ABRC (Associação Brasileira de Rugby em Cadeira de Rodas), está no caminho certo.

“O trabalho está sendo feito e competições internacionais como essa são importantes para aprendermos com os outros países e avaliarmos onde precisamos melhorar, sempre de olho em 2016, que é nosso grande objetivo”, finaliza Luiz Cláudio Pereira, vice-presidente do CPB e chefe de missão da delegação de rugby que vai à Colômbia.

Os atletas chegam no Rio de Janeiro nesta quarta-feira (14), à noite, e treinam de quinta a sábado. No domingo, dia 18, a Seleção embarca para Colômbia.

Fonte: CPB