Brasil se une ao Reino Unido na contagem regressiva para os Jogos de 2012

A um ano das Paraolimpíadas de Londres, o presidente do Comitê Paraolímpico Brasileiro, Andrew Parsons, e o cônsul geral britânico em São Paulo e diretor do UK Trade & Investment (UKTI) no Brasil, John Doddrell, se reuniram para estreitar laços e celebrar a proximidade da maior competição do planeta para atletas com deficiência. O encontro aconteceu nesta semana, durante as Paraolimpíadas Escolares, na capital paulista.

“A ocasião é importante por três motivos. O primeiro é podermos comemorar os Jogos Paraolímpicos Escolares no Brasil, o maior evento nessa categoria no mundo. Gostaria de parabenizar a todos os atletas, o povo brasileiro, o governo e o CPB pelo evento fantástico. Segundo, a celebração pela proximidade dos Jogos em Londres 2012. O Parque Olímpico já está pronto para receber visitantes do mundo inteiro. Além disso, os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos serão os mais verdes da história”, afirmou Doddrell.

Com entusiasmo, o cônsul completou:

“O terceiro motivo é que os governos britânico e brasileiro já assinaram acordo de intercâmbio para atletas. O governo britânico convidará 25 estudantes brasileiros, que tiverem se destacado nas Olimpíadas e Paraolimpíadas Escolares, para participarem dos Jogos do ano que vem no Reino Unido e vice e versa. Será uma cooperação muito forte entre nossos países”, concluiu.

Para o Andrew Parsons, a visita de Doddrell foi importante para reforçar a parceria entre os países.

“Temos uma parceria de cooperação na divulgação dos Jogos e atletas desta edição das Paraolimpíadas Escolares competirão no ano que vem nos Jogos britânicos. Temos muito o que aprender um com o outro. A escolha do esporte escolar é importante na união entre os dois países principalmente pelo legado. Plantamos o futuro por meio de iniciativas como esta”, destacou o presidente do CPB.

A iniciativa prevê o envio, pelo Ministério do Esporte, dos atletas de destaque nas Paraolimpíadas e Olimpíadas Escolares Brasileiras para um intercâmbio na Grã-Bretanha, e vice-versa. A idéia é ampliar a troca de conhecimento e reforçar o treinamento.

“O programa vai nos permitir conhecer um pouco mais do programa escolar utilizado no Reino Unido. Sem dúvida nenhuma será uma experiência enriquecedora não só para os atletas brasileiros que irão para lá, mas principalmente para o Comitê Paraolímpico Brasileiro, que poderá conhecer uma realidade diferente de um país que tem esporte de ponta. Talvez possamos aplicar algumas das estratégias utilizadas no Reino Unido e também será importante para que eles conheçam o que fazemos aqui. Nosso programa escolar é vencedor e tem mostrado excelentes resultados”, ressaltou Parsons.

Fonte: CPB

Anúncios