Geração 2016 dá show em Campinas

A menos de seis anos dos Jogos do Rio 2016, o desejo de disputar uma Paraolimpíada está cada dia mais forte para muitos atletas. Considerada importante para a detecção de novos talentos, a Etapa Regional de São Paulo do Circuito Loterias CAIXA Brasil de Atletismo, Halterofilismo e Natação reuniu mais de 800 atletas, neste fim de semana, em Campinas (SP). Todos que fizeram 70% do recorde mundial em sua prova e classe conquistaram vaga para seguir na competição nacional, no segundo semestre.

Com apenas 13 anos, Lucas Lamente, classe S9, de Jundiaí, começou a competir no ano passado e já conquistou índice para dividir a piscina com os melhores nadadores do país, no Circuito Nacional.

“Estar numa Paraolimpíada é o auge para o atleta e eu já sonho competir em uma”, garante o nadador, que conquistou o ouro nos 400m livre e a prata nos 200m medley.

Com o mesmo sonho que o colega, Gabriel Tanzi (S10), 16, de São Roque, Andrey Garbo (S9), 14, e Jean Gomes (S8), 17, ambos de Bragança, conquistaram vaga para o Circuito Nacional e estão animados.

IMG_6811.JPG“Treinamos ao lado do Daniel Dias e ele é nossa maior fonte de inspiração. Em cinco anos conquistou recordes mundiais, medalhas paraolímpicas e mundiais e o Laureus (Oscar do esporte). Ele nos incentiva, dá dicas e também puxa a orelha. Vemos que é preciso muito treino para chegar onde ele chegou e é o que queremos”, afirmou Andrey.

Pronto para disputar a Copa Canadense de Paranatação, em Montreal, na próxima semana, o atleta da seleção brasileira permanente e educador físico da Unisanta, Carlos Farrenberg, acompanhou sua equipe na competição em Campinas e ficou atento às provas.

“A Regional foi bastante cheia e tivemos alguns novos atletas aparecendo. Na minha classe mesmo (S13), tem um menino chamado Guilherme que tem bastante potencial. Se ele se esforçar e treinar muito, dará trabalho, mas vai ser bem difícil me vencer”, avisou.

O atleta citado por Carlão é Guilherme Silva, 15, de Franca. Apaixonado pela natação, o jovem tem treinado cada dia mais forte e melhorado seus tempos. Ainda assim, ele acha que ainda precisa melhorar para realizar o sonho paraolímpico.

“Dou sempre o meu melhor e tenho conseguido baixar meu tempo. Sei que posso melhorar. Ser elogiado pelo Carlão me motiva a treinar e me dedicar ainda mais ao esporte”, disse o atleta da Adefi.

Mais de 30 recordes batidos

A Regional de São Paulo foi marcada pela quebra de 31 recordes brasileiros. Foram cinco no halterofilismo, 12 na natação e 14 no atletismo. Segundo o coordenador nacional da modalidade, Ciro Winkler, a etapa chamou atenção por revelar possíveis nomes para a próxima geração.

“Muitos dos recordes quebrados foram de jovens com menos de 20 anos. Isso representa uma boa perspectiva de nomes para os Jogos Rio 2016. Já temos uma Seleção forte para Londres 2012, mas é importante a renovação para mantermos os resultados”, avaliou Winkler.

IMG_6710.JPGGeração 2016, oito atletas com menos de 20 anos sagraram-se os novos donos das melhores marcas nacionais no atletismo e na natação. Kelly Peixoto, 15, no lançamento de disco (F40); Yagonny de Souza, 19, nos 800m rasos (T45); Géssica Rodrigues, 18, nos 100m e 200m rasos (T36); Alan Augusto dos Santos, 15, nos 100m costas (S12); Carolaine da Silva, 14, nos 50m e 100m livre (S14); Miriele Gonçalves, 15, nos (S14); Paloma Sampaio (SB5) e Pamella Andrade (SB7), 18, nos 100m peito.

“Só caiu a ficha que quebrei o recorde quando recebi a medalha. Treino três horas por dia e vou me empenhar para ir longe, pois sonho disputar uma Paraolimpíada”, revelou Yagonny.

A paulista Kelly Peixoto, de apenas 15 anos, e o carioca Yagonny de Souza, 19, são alguns dos jovens que podem despontar. Yagonny (T45) treina há apenas nove meses,  fez os índices nacionais da prova que disputou, além do  recorde brasileiro nos 800m, (2m10s70) e do ouro nos 400m (56s16).

Kelly (F40) começou no atletismo há dois anos, nas Paraolimpíadas Escolares, e sagrou-se a mais nova recordista brasileira no lançamento de disco (13.06), além do índice nacional no arremesso de peso F40.

Além dos recordes e novos talentos, a competição reuniu grandes nomes da modalidade, como o medalhista mundial Ozivam Bonfim, bronze na Maratona T46 no Mundial da Nova Zelândia (2011). Ozivan confirmou o favoritismo e venceu as duas provas que competiu: os 5.000m, com o tempo de 16min10s e os 10.000m com 33min47s39.


Recordistas

Halterofilismo
Rodrigo Marques (MG), até 90kg – 185kg
Bruno Carra (SP), até 60kg – 147,5kg
Dádila Rodrigues(MG), até 56kg – 45kg
Terezinha Santos (RN), até 60kg – 92,5kg
Márcia Menezes (PR), até 82,5kg – 100kg

Natação
Ailton Nóbrega (S12) – 100m costas – 01:31:02
Alan Santos (S12) – 100m costas – 01:51:77
Carolaine da Silva (S14) – 100m livre – 01:21:13
Carolaine da Silva (S14) – 50m livre – 00:36:28
Guilherme Marczuk (S12) – 100m costas – 01:45:93
Kelly Antunes (SM14) – 200m medley – 03:49:70
Miriele Gonçalves (S14) – 100m costas – 01:37:02; 200m medley – 03:40:69; 50m livre – 00:37:19; 100m livre – 01:20:81
Paloma Sampaio (SB5) – 100m peito – 02:12:54
Pamella Andrade (SB7) – 100m peito – 02:06:01

Atletismo
Evandro de Souza (T34) – 100m rasos – 00:21.13
Evanilson França (F58) – lançamento de dardo – 41.10
Fernando Ferreira (F20) – arremesso de peso – 10.37
Gessica Rodrigues (T36) – 100m rasos – 00:16.95
Gessica Rodrigues (T36) – 200m rasos – 00:37.05
Kelly Cristina Peixoto (F40) – lançamento de disco – 13.06
Luciano Pereira (F11) – arremesso de peso – 10.97
Márcia dos Santos (F11) – arremesso de peso – 8.80
Marco Aurélio Borges (F44) – lançamento de disco – 48.02
Paulo Ferreira (T20) – 1.500m rasos 3 04:18.48
Raquel Adriana Clemente (T37) – 400m rasos – 01:23.66
Renan de Souza (T35) – 200m rasos – 00:36.25
Vanderlei Oliveira (F13) – lançamento de dardo – 44.91
Yagonny de Souza (T46/45) – 800m rasos – 02:10.70

Fonte: CPB