Primeiro dia da Regional de São Paulo é marcado pela quebra de 20 recordes brasileiros

Mais de 800 atletas entraram em ação no primeiro dia de disputas pela Etapa Regional de São Paulo do Circuito Loterias CAIXA Brasil de Atletismo, Halterofilismo e Natação, em Campinas. A competição vale vaga para o Circuito Nacional, no segundo semestre, e começou com a quebra de 20 recordes brasileiros: 11 no atletismo, quatro no halterofilismo e cinco na natação.

Estreadas na competição, a pista de atletismo e a piscina olímpica do Swiss Park foram palcos de grandes disputas. Geração 2016, a paulista Kelly Peixoto, de apenas 15 anos, começou no atletismo há dois anos, nas Paraolimpíadas Escolares,  e sagrou-se a mais nova recordista brasileira no lançamento de disco F40.

Kelly_Peixoto_Campinas_Jun2011.JPG“Fiquei feliz com o resultado. Quero treinar mais e sonhar com bons resultados. Dizem que tenho futuro, quero acreditar.”

Segundo o coordenador técnico da modalidade, Ciro Winkler, os recordes brasileiros quebrados representam um bom panorama do para-atletismo nacional.

“Quatro dessas marcas foram de jovens com menos de 20 anos. Isso representa uma boa perspectiva de nomes para os Jogos Rio 2016. Já temos uma Seleção forte para Londres 2012, mas é importante a renovação para chegarmos bem no Rio”, avaliou Winkler.

Além dos recordes, a competição contou com presenças ilustres, como a do medalhista mundial Ozivam Bonfim, que levou o bronze na Maratona T46, no Mundial da Nova Zelândia (2011), a medalhista paraolímpica e ex-nadadora Fabiana Sugimori, do presidente do Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPB), Andrew Parsons, além do secretário de Esportes e Lazer de Campinas, Gustavo Petta.

Ozivam competiu e confirmou o favoritismo ao vencer a prova dos 5.000m, com o tempo de 16min10s. Ademar Leite (16min59s) e Ezequiel Costa (17min03s) completaram o pódio.  O recorde brasileiro desta prova (15min) é do próprio Ozivam, conquistado em Mar Del Plata, na Argentina (2003).

Mais peso

No halterofilismo, o dia foi delas. Dádila Rodrigues (MG), na categoria até 56kg melhorou sua marca em 2,5kg, elevando o recorde brasileiro. Terezinha Santos (RN) e Márcia Menezes (PR) superaram os recordes nacionais anteriores de 91kg para 92,5kg (até 60kg) e de 90kg para 100kg (até 82,5kg), respectivamente.

O paulista Bruno Carra, da categoria até 60kg, conseguiu levantar mais peso e elevou o recorde brasileiro de 145kg para 147,5kg. Com o avanço, o Brasil começa a se aproximar das marcas internacionais.
A competição de halterofilismo terminou neste sábado e contou com a participação de mais de mais de 70 atletas de todo país, na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Na água
Primeiras disputas na piscina olímpica do complexo aquático do Swiss Park, as provas de natação agitaram o primeiro dia de competição com cinco recordes brasileiros quebrados, todos na classe S14 (Síndrome de Down).
“Os recordes provam que os atletas estão se esforçando cada vez mais para superarem suas marcas, o que é excelente para o desenvolvimento da para-natação”, destacou o coordenador nacional da modalidade, Murilo Barreto.

Promessa para os Jogos Paraolímpicos do Rio 2016, o jovem Matheus Henrique da Silva, 17, de Pindamonhangaba, tem se dedicado a baixar seus tempos em busca da vaga para os Jogos Parapanamericanos em Guadalajara, em novembro.

“Fiz um bom tempo, levando em conta a época de treinamento em que estou. Minha meta agora é a primeira etapa do Nacional (agosto), já visando fazer minha melhor marca para o Parapan. Quero quebrar o recorde brasileiro (1m17s85)”, revelou o nadador, que hoje integra a Seleção Brasileira de Jovens.
Medalhista de ouro e bronze nos Jogos Paraolímpicos de Sydney (2000), Atenas (2004) e Pequim (2008) e com vários títulos parapanamericanos, na classe S11 (perda total de visão), a campineira Fabiana Sugimori aproveitou a manhã do sábado para acompanhar as disputas no complexo aquático do Swiss Park.
“É a primeira vez que Campinas recebe uma competição grande como esta. Fiquei espantada com o número de atletas que estão participando e são só de São Paulo. Campinas está tendo uma ótima oportunidade de conhecer um pouco mais o paradesporto”, disse.

Mesmo tendo se desligado das competições, Fabiana marcar presença nas disputas sempre que pode.

“Tenho saudade desse clima das competições e por isso vou a todas que posso, mas só para acompanhar. De vez em quando dou minhas braçadas, mas só por diversão. Não penso em voltar a competir”, revelou a ex-atleta.

Melhor estrutura

Com acessibilidade em todos os lugares, o complexo aquático do Swiss Park promete ser um dos pontos de treinamento das equipes brasileiras de natação. Os banheiros adaptados e o espaço amplo e com rampas, permitiram que os atletas circulassem livremente pelo local com maior independência.

“O CPB sempre procura realizar suas competições e os treinamentos dos atletas das Seleções Brasileiras em locais com excelente estrutura e acessibilidade e encontramos tudo isso aqui”, ressaltou Andrew Parsons.
Petta, que se mostrou admirado com a superação dos atletas na piscina, aproveitou a oportunidade para agradecer pela realização da Regional de São Paulo, na cidade.
“Esperamos que voltem muitas outras vezes. Queremos tornar o parque aquático de Campinas uma referência nacional”, afirmou.

O Circuito

A etapa de São Paulo é a quarta e última regional do Circuito Loterias CAIXA de 2011. A primeira foi em março, em Fortaleza (Norte-Nordeste), a segunda em abril, em Curitiba (Rio-Sul) e a terceira em maio, em Brasília (Centro-Leste). Em agosto começa o Circuito Nacional, nos dias 6 e 7, em São Paulo capital. A disputa segue nos dias 3 e 4 de setembro, também na capital paulista, e nos dias 3 e 4 de dezembro, em Fortaleza (CE).

Os resultados e a consulta dos novos recordes brasileiros podem ser feitos no site competição: http://www.neocompeticao.com.br/circaixasaopaulo/default.asp

PROVAS 
Domingo (26) – das 8h às 12h

ATLETISMO E NATAÇÃO
Swiss Park Campinas
Rodovia Anhanguera, km 90

*Entrada gratuita
* Acesse todos os resultados aqui

 

 

 

Anúncios