Paraolimpíadas Escolares: Alagoas define delegação

Em reunião na sede da Secretaria de Estado Adjunta do Esporte, no Estádio Rei Pelé, a diretora de Esporte e Desporto Escolar, Maria Luiza Oliveira, após consultas e acertos com equipe técnica multidisciplinar envolvida nessa competição, disse que ficou definido que o Estado levará uma delegação de 65 integrantes entre alunos/paratletas, técnicos e staff para o evento que será realizado de 26 a 31 de setembro, em São Paulo.

Entre os estados do Norte/Nordeste, Alagoas sempre foi o destaque nas Paraolimpíadas Escolares – maior competição do mundo nessa faixa etária, que reúne jovens atletas/paraolímpicos de 14 a 20 anos, de 21 estados mais o Distrito Federal, disputando as modalidades de atletismo, bocha, natação e vôlei. A competição também visa revelar novos valores e possíveis atletas para representar o Brasil nos Jogos de 2016.

A participação de Alagoas nas Paraolimpíadas Escolares de 2011 mais uma vez enche dirigentes e alunos/paratletas de expectativa e otimismo. “Dentre todas as iniciativas do governo do Estado as Paraolimpíadas Escolares têm um lugar especial para nós. Porque acreditar e investir em jovens como esses é investir na renovação do esporte paraolímpico brasileiro”, ressaltou Luiza.

Visivelmente emocionados, os participantes da reunião disseram que a presença de Alagoas nessa competição é uma conquista muito grande para o movimento paraolímpico. “Tenho certeza de que juntos do nosso governador Teotonio Vilela, do novo secretário Adriano Soares e do Jorge VI, vamos caminhar para uma consolidação nos próximos anos e, com um incremento do apoio ao esporte, tanto convencional quanto paraolímpico, porque as pessoas com deficiência são cidadãos de direito”, ressaltou Luiza.

Destaques – Segundo os organizadores das Paraolimpíadas Escolares, o Estado de Alagoas tem excelente material humano para representar o Brasil nos Jogos Paraolímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. É o caso de Marivana de Oliveira Nóbrega. Vítima de paralisia cerebral na infância, ela tem o movimento das pernas limitado. Mas a deficiência não a impede de brilhar no arremesso de peso e nos lançamentos de disco e dardo.

Na mesma safra de Marivana, também brilhando nas Paraolimpíadas Escolares em Brasília, o alagoano Jonathan Souza se destaca no arremesso de peso. O atleta já fez a melhor marca do planeta nesta prova em quatro oportunidades.

Fonte: Gazetaweb

Anúncios