O portador de deficiência no mercado de trabalho

O 3a1 discute a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. Um dos temas é a Lei 8.213, que estabelece cotas para deficientes e está em vigência desde 24 de julho de 1991. Apesar disso, não tem sido cumprida no país.

Também conhecida como Lei de Cotas, ela determina que as empresas que possuem mais de 100 funcionários devem cumprir uma cota com cargos destinados a trabalhadores reabilitados ou pessoas com deficiência. No caso de descumprimento, a empresa recebe uma multa para cada funcionário não contratado.

Pesquisa realizada após uma avaliação das ações do Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE) revelou que, apesar de falhas no cumprimento da lei, houve um aumento no número de pessoas portadoras de deficiência no mercado de trabalho de todo o país. Nos três primeiros meses de 2011, 7508 pessoas com algum tipo de deficiência física passaram a ser incluídas na lista de trabalhadores formais, representando um aumento de 40,7% em relação ao primeiro trimestre de 2010.

Cursos de capacitação profissional também tem trazido muitas oportunidades. O Projeto de Inclusão Digital e Produtiva Muito Especial do Rio de Janeiro, realizado em Bonsucesso, é um exemplo disso. Essa iniciativa oferece cursos gratuitos de diferentes áreas e tem o objetivo de preparar o deficiente físico para o mercado de acordo com as suas necessidades.

O programa 3 a 1 discute ainda a questão do preconceito no local de trabalho. Os convidados são: José Carlos do Carmo, coordenador do projeto inclusão/MTE; André Luiz de Oliveira, campeão paraolímpico; e Priscila Neves, analista de Desenvolvimento Humano/SERASA. A apresentação é de Luiz Carlos Azedo.

3a1: toda quarta, às 22h00, na TV BRASIL

Para mais informações, acesse: http://tvbrasil.org.br/3a1/