Nadadores treinam em altitude no México

A fim de melhorar o condicionamento físico e melhor se adaptarem ao clima do México – onde será a próxima edição dos Jogos Parapan-Americanos – Daniel Dias, Edênia Garcia e Verônica Almeida desembarcaram na última segunda-feira, 30, na cidade de San Luis Potosí.

Com clima seco e altitude de 1.860 metros, a cidade tem características semelhantes à Guadalajara, sede do Parapan, e por isso foi escolhida para os treinamentos. Murilo Barreto, coordenador técnico da seleção brasileira de para-natação, acredita que é uma boa oportunidade para os atletas melhorarem o condicionamento físico:

“Na altitude, exige-se mais da capacidade aeróbia do atleta, o que gera uma melhora ao final das etapas de treinamento. É um período importante, também, porque os atletas treinam em ritmo muito forte” explica.

O local de treinamento é o mesmo que grandes nomes da natação mundial, como Michael Phelps e Eamon Sullivan, utilizam para se prepararem para grandes competições.

“É um excelente centro de treinamento. Em 2008, vim para cá para me preparar para a altitude de Pequim (China) e consegui nadar a melhor prova da minha vida. É um bom início de treinamento para o Parapan e estou confiante na melhora dos meus resultados”, analisa Verônica, atleta que viajou por conta própria em prol de melhores marcas.

O treinamento dura 23 dias e os atletas retornarão ao Brasil no fm do mês. Daniel Dias e Edênia Garcia fazem o treinamento em altitude pelo Projeto Ouro, programa do Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPB) que visa proporcionar aos atletas dos esportes individuais paraolímpicos o diferencial complementar para atingirem a excelência máxima nos Jogos de Londres 2012: a medalha de ouro.

Anúncios