Doação de bolas com guizo promete impulsionar futebol de cegos no Brasil

A seleção brasileira de futebol de 5 e mais 40 equipes nacionais estão entre os beneficiados pela distribuição gratuita, por parte do governo federal, de 1,5 mil bolas de futebol com guizo. Homologada pela Federação Internacional de Esportes para Cegos (IBSA) – organização com sede na Espanha – a bola com guizo, produzida por meio do Programa Pintando a Cidadania, do Ministério do Esporte, é única no mundo e reconhecida para utilização em competições oficiais da categoria.

A doação contempla 64 entidades filiadas à Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais (CBDV). “O material é suficiente para atender 30 mil atletas da modalidade”, informa Waldemar de Souza, secretário executivo do Ministério do Esporte. A entrega, feita pelos Correios, começou semana passada e será encerrada na próxima terça-feira (24.05).

Inicialmente, as bolas serão usadas pelas equipes nacionais em quatro campeonatos regionais: o Centro-Norte, (iniciado no último dia 19 e com encerramento neste domingo, em Anápolis-GO), o Nordeste (de 14 a 19 de junho, em São Luís), o Sudeste (de 6 a 10 de julho, no Rio de Janeiro) e o Sul (de 27 a 31 de julho, em São Paulo). Depois, será a vez da Série A (de 3 a 9 de outubro, em João Pessoa) e da série B (de 11 a 16 de outubro, em Goiânia).

A seleção brasileira coleciona vários títulos importantes: é bicampeã paraolímpica (Pequim-2008 e Atenas-2004), ouro no Parapan-2007 e tricampeã mundial (Brasil-1998, Espanha-2000 e Inglaterra-2010). A equipe também utilizará as bolas do Ministério do Esporte, segundo Sandro Laina Soares, presidente da CBDV: “O time masculino fará seus treinos de olho na conquista do Parapan, a ser realizado de 12 a 21 de novembro, em Guadalajara, no México”.

Com foco nas Paraolimpíadas Rio-2016, a meta é incentivar treinos e competições da modalidade, também conhecida como futebol ou futsal de cegos. Outro alvo é a descoberta de novos talentos por meio de entidades que trabalham o futebol de 5 de forma lúdica, visando ao lazer de crianças cegas e a futura formação de equipes da modalidade.

Dinâmica de trabalho
A produção das bolas com guizo do Pintando a Cidadania está centrada na unidade de Feira de Santana (BA), a única equipada para fabricação do produto. São cerca de 800 trabalhadores que vivem em comunidades carentes da cidade, entre homens, mulheres, jovens e adultos. Feitas com o laminado sintético EVA, as bolas são cortadas no formato de células e costuradas à mão. Além do Brasil, o material é distribuído gratuitamente para diversas partes do mundo.

De acordo com o gerente de Projetos do Ministério do Esporte, Gerêncio de Bem, a produção de cada bola, em torno de US$ 9 (cerca de R$ 15), é custeada pelo Ministério, que compra o material da unidade do programa. A pasta também faz distribuição internacional, intermediada pela CBDV. O mais novo pedido é da Espanha, que solicitou uma remessa de 400 bolas com guizo para a disputa do campeonato europeu.

Futebol de 5
Cada equipe é formada por quatro jogadores de linha cegos. Apenas o goleiro enxerga normalmente (joga numa área reduzida de 5m x 2m). Os times usam também um chamador, ou seja, um membro da equipe que fica atrás da meta adversária, orientando os jogadores de ataque. O som produzido pelos guizos da bola ajuda os atletas a encontrá-la. As partidas oficiais têm dois tempos de 25 minutos, com 10 minutos de intervalo. O futebol de 5 é praticado em lugares sem barulho. A torcida só pode manifestar-se após o gol.

Fonte: Ministério do Esporte