Alerta: Cadeirante agredido por delegado diz que está sendo ameaçado de morte

Um espaço para a área policial

A OAB de São José dos Campos vai entrar com uma nova ação na Corregedoria da Polícia, e também no Ministério Público, contra o delegado Damásio Marino, acusado de agredir um cadeirante.

A vítima afirma que após a divulgação do caso, passou a ser ameaçada de morte por telefone. Hoje, um laudo da Polícia Civil confirmou que ligações foram feitas de dentro da Delegacia Seccional para o número da vítima, em horário que o delegado estaria trabalhando no local.

O caso foi em janeiro. O advogado Anatole Morandini foi ao cartório, no centro da cidade, mas encontrou a vaga especial para cadeirante ocupada pelo carro do delegado, que não tem nenhuma deficiência física. Anatole conta que quando foi reclamar, foi agredido e levou coronhadas no rosto e na cabeça.


Segundo o boletim de ocorrência, testemunhas disseram que o delegado estava armado. Laudos do IML conprovaram a agressão. O delegado afirmou que teria dado dois tapas no rosto do cadeirante depois de ter sido xingado e levado uma cusparada.

A promotoria fez uma acusão formal à Justiça contra o delegado, acusado dos crimes de injúria, ameaça e lesão corporal. A polícia abriu um procedimento administrativo para apurar o caso. Damásio Marino ficou afastado do cargo por trinta dias. Em fevereiro, ele voltou a trabalhar.

O advogado de defesa nega as ameaças de morte ao cadeirante e afirma que não foi o delegado quem fez as ligações. A Corregedoria da Polícia Civil informou que vai investigar agora quem fez as ligações para a vítima.

O delegado seccional informou que não comenta o caso. E confirmou que o delegado Damásio Marino continua trabalhando normalmente, cumprindo funções administrativas. O processo admistrativo que apura a agressão do delegado ao cadeirante, ainda não foi concluído.

Fonte: http://vnews.com.br

Anúncios