Governo vai exigir antidoping no Bolsa Atleta Paraolímpico

O Ministério do Esporte vai exigir exame antidoping dos atletas que solicitarem a Bolsa Atleta, auxílio financeiro concedido pelo governo federal.

Os atletas terão de fazer o exame, que ficará a cargo do laboratório de testes antidoping da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), o Ladetec.

O exame permite identificar se o atleta usa substâncias ilícitas para melhorar o desempenho nas competições.

“Muitas vezes, alguns jovens se iludem com o consumo de uma substância ou outra achando que vão ganhar massa muscular e vigor. O uso de substância indevida pode repercutir negativamente na saúde dos jovens, especialmente no caso de atletas. Os atletas, jogando limpo, inibindo o uso dessas substâncias, servem como exemplo para estimular a atividade física saudável”, afirmou o ministro Orlando Silva.

Atualmente, mais de 3,1 mil atletas olímpicos e paraolímpicos recebem a bolsa.

NADADOR APROVA
Nadador paraolímpico, o americanense Danilo Glasser recebeu a Bolsa Atleta entre os anos de 2005 e 2009. Ele aprova a medida adotada pelo governo federal.

“O atleta contemplado ter que dar retorno. Quando comecei ainda não tinha o antidoping, mas acho importante porque mantém o esportista concentrado apenas no esporte”, analisa o nadador.

“Na época em que eu recebia o Bolsa Atleta cheguei a disputar o Mundial e Pan-Americano, e só consegui o incentivo porque tinha participado das paraolimpíadas de 2004, em Atenas”, completa.

Danilo diz que com o dinheiro era possível viver da natação “Consequentemente fui me profissionalizando cada vez mais, elevei meu nível. O Brasil foi o primeiro país do mundo a ter esse programa, que agora é copiado pela Espanha. Deixei de receber o dinheiro em 2009 por conta própria, pois fechei com um patrocinador que cobria o valor”, destaca.

Fonte: O Liberal

Anúncios