Andrew Parsons encerra participação inédita do CPB na Reatech

Com tardes de autógrafos, exibição e experimentação de modalidades, palestras e lançamento de um livro, o estande do Comitê Paraolímpico Brasileiro agitou o público durante os quatro dias da principal feira para pessoas com deficiência do país, a Reatech. Pela primeira vez na história, o Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPB) participou da Reatech. Em sua 10ª edição, a feira internacional de Tecnologia em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade reuniu o melhor de tecnologia nacional para pessoas com deficiência.

Nesta semana não perca um bate-papo exclusivo do Blog Paraolímpicos com o Andrew Parsons.

Um dos momentos mais esperados da programação da Reatech ocorreu neste domingo, 17, em São Paulo: a palestra do presidente Andrew Parsons sobre Esporte Paraolímpico e as perspectivas para as Paraolimpíadas Rio 2016. Em mais de uma hora de conversa com a plateia, Parsons explicou detalhes específicos sobre o Esporte Paraolímpico no Brasil, abordando atualidades e perspectivas.

O presidente do CPB explicou a classificação funcional, que ocorre em esportes individuais e coletivos, e citou as modalidades que necessitam de adaptações, como cadeiras de rodas, no basquete, atletismo, tênis e esgrima. Exemplos dessas adaptações podem ser: próteses, guizos nas bolas, bicicletas tandem, chamadores, atletas guia, selas e arreamento específicos, embarcações, ataduras, entre outros. Após saber o conceito, o público conheceu as 20 modalidades que participam dos Jogos de Verão, além das duas que serão acrescentadas aos Jogos do Rio 2016: a para-canoagem e o para triátlon.

Realtech_SR.Presidente_6.jpg

A seguir, o presidente do CPB contou aos presentes, pessoas com deficiência, familiares, professores e visitantes da Reatech, o panorama histórico do Movimento Paraolímpico Brasileiro, bem como o surgimento dos Jogos. Parsons também abordou o crescimento do Esporte Paraolímpico, a participação brasileira nos Jogos, e o aumento na audiência da ultima Paraolimpíada, que foi vista por mais de 3,84 bilhões de pessoas em todo o mundo.

Andrew também enumerou alguns dos desafios futuros do CPB, como as mudanças na estrutura voluntária para profissional para enfrentar nova era e no modelo por área de deficiência, alterando-o para o modelo por modalidades. O Presidente do CPB encerrou a palestra destacando alguns dos objetivos para os próximos anos, norteados pelo “Processo de Planejamento Estratégico”, formulado ano passado, que engloba toda a estratégia do CPB até a realização dos Jogos do Rio de Janeiro, em 2016.