Onze recordes brasileiros caíram e novos nomes despontaram no atletismo

A etapa regional Rio-Sul do Circuito Loterias CAIXA Brasil de Atletismo foi um sucesso. O público que esteve na pista da Universidade Positivo pôde ver atletas novatos se destacando e 11 recordes brasileiros sendo superados.

Destaque para Flávio Reitz, que derrubou duas marcas: no salto em distância F42, hoje, e no salto em altura F42, ontem. No sábado, o atleta havia prometido fazer o novo recorde nacional hoje:

“Devo saltar por volta de 3m50”, disse ontem.

E cumpriu: saltou 3m44, 64 cm a mais que o recorde anterior, de Leonardo Rodrigues. O resultado, entretanto, não o garantiu na prova nas etapas nacionais do Circuito.

“Valeu pela oportunidade de fazer a prova. Vou treinar para aumentar a marca”, disse Flávio após a conquista.

“Agora é me preparar para Fortaleza (na primeira etapa nacional) no salto em altura e no lançamento de dardo. Quero buscar o índice para o Parapan. Acredito nele, esse é o meu foco”, explicou o catarinense.

Outro destaque da competição foi Diogo Ualisson da Silva. No sábado, o jovem de 18 anos quebrou o recorde brasileiro do salto em altura F12, com a marca de 1m66. Hoje, conseguiu mais um excelente resultado: fez 5m91 no salto em distância.

“Estou treinando desde janeiro, mas o atleta nunca tem certeza de conseguirá fazer uma marca. Eu não imaginava quebrar um recorde brasileiro”, confessou.

O atleta carioca agora promete manter o recorde em suas mãos na altura e brigar pelo da distância.

“Vou treinar em dobro agora para as nacionais. Não quero só manter. Recorde tem que ser quebrado a cada competição.”

O resultado final agradou à comissão técnica da seleção brasileira.
“É um bom resultado. Estamos vendo muitos jovens atletas, que já conseguiram resultados em competições internacionais de sua faixa etária, quebrando recordes brasileiros”, avalia o técnico da seleção brasileira, Amaury Veríssimo.

Santa Catarina é campeã na pista
Os atletas de Santa Catarina foram os que mais vezes subiram ao pódio em Curitiba: eles conquistaram 201 medalhas (89 ouros, 62 pratas e 50 bronzes). Os donos da casa ficaram em segundo, com 45 ouros, 35 pratas e 23 bronzes, num total de 103 conquistas. O Rio de Janeiro subiu ao lugar mais alto do pódio 35 vezes, conquistou 26 pratas e 15 bronzes, num total de 76 medalhas. Já o Rio Grande do Sul, terminou a etapa com 22 ouros, 13 pratas e quatro bronzes: 39 medalhas.

Fonte @cpboficial

Anúncios