Brasil leva ouro e prata no Mundial da Turquia

Depois de um dia sem muitas alegrias na véspera, o Brasil teve uma ótima quarta-feira em Antalya, Turquia, no Campeonato Mundial da IBSA. No judô, foram duas medalhas, uma de ouro e outra de prata, e no goalball, duas vitórias que mantiveram o país na briga por uma vaga na semifinal e o sonho paraolímpico vivo.  

No mesmo ginásio onde ficou em terceiro lugar no Mundial de Judô, ano passado, Daniele Bernardes Milan (ex-Silva) subiu ao degrau mais alto do pódio na categoria até 63 quilos, enquanto Lúcia Teixeira repetiu a segunda posição de 2010 entre as lutadoras de até 57 quilos.  Estes resultados praticamente garantem a vaga do Brasil nestas categorias nos Jogos de Londres 2012.

Já no goalball a esperança de lutar pela vaga paraolímpica se manteve viva graças à goleada de 11 a 1 sobre a Grécia no feminino e a boa vitória por 4 a 1 sobre a Bélgica no masculino.

Daniele Bernardes

Daniele e Lúcia chegaram à Turquia entre as favoritas e confirmaram a fama no tatame. As duas entraram de by na disputa e estrearam apenas na segunda rodada. Assim, precisaram de somente duas lutas para chegar à final. Todas as lutas foram decididas por ippon, para o bem ou para o mal. Dani passou pela turca Nazan Akin no primeiro combate e pela forte venezuelana Naomi Soaza, campeã paraolímpica até 57 quilos e vice-campeão mundial na atual categoria. Na final, uma vitória com sabor de revanche para Dani, sobre a espanhola Marta Arce, que derrotara a brasileira em sua primeira luta nas Paraolimpíadas de 2004.

Depois do bronze em duas paraolimpíadas e no Mundial de Judô, ano passado, Dani finalmente chegou ao ouro:

“Tava na hora, né? Fiquei tão feliz que até chorei. Acho que esta medalha premia todo um trabalho bem feito. É uma recompensa não apena para mim, mas também para todos que trabalharam comigo e me ajudaram esse tempo todo”, disse Daniele, que ao se casar tirou Silva do nome e passou a assinar Daniele Bernardes Milan.

Lúcia, por sua vez, venceu a turca Caglar Yalcin na estreia, e depois passou pela russa Alexandra Vlaslova, sempre com vitórias rápidas. Na final, teve pela frente Afag Sultonova, do Azerbaijão. Novamente perdeu por ippon e ficou com a prata, como no ano passado.

“Fico triste porque queria muito o ouro, mas na minha categoria qualquer detalhe pode determinar uma vitória ou derrota. E infelizmente vacilei por um segundo. Agora é dar o sangue nos treinamentos para chegar em Londres ainda melhor e poder vencer”, disse a medalha de prata.

No masculino Harlley Damião, venceu o primeiro combate contra o francês Cyril Jonard, mas perdeu o segundo para o alemão Mathias Krieger, que chegou a Antalya com o título mundial (foi vice agora). Na repescagem, o brasileiro passou pelo turco Gokmen Aydin. No confronto seguinte, uma vitória o levaria à disputa do bronze, mas ele perdeu para o russo Anatoly Schevchenko e terminou na sétima colocação. Já Eduardo Paes Amaral perdeu os dois confrontos que disputou, para o russo Shakhaban Kurbanov e para Yuriipidkivka.

Nesta quinta-feira, 07, as maiores esperanças de medalha estão depositadas em Antônio Tenório, tetra-campeão olímpico e campeão da IBSA em 2007, mas que ano passado, também em Antalya, ficou em quinto lugar. Além de Tenório, na categoria até 100 quilos, o Brasil estará representado por Roberto Julian (-90 kg), Willians de Araújo (+ de 100 kg), Victoria Silva (-78 kg) e Giovana Pilla (+ de 78 kg).

Anúncios