Atletas de Caruaru treinam pesado para o Circuito Brasileiro Paraolímpico

O autódromo Ayrton Senna, em Caruaru, é lugar de velocidade e o grupo da Associação dos Portadores de Deficiência de Caruaru (Apodec) sabe disso e quando treina no local, trata de aprimorar.

Tudo bem que a velocidade não é a mesma, mas o treino é puxado. Primeiro o aquecimento, depois, “pernas pra quê te quero”.  “São duas horas de treinamento direto, de segunda à sexta, sem parar”, contou o para-atleta da Apodec, Jedson Soares.

Já faz uns dois meses que a egtne vem trabalhando em cima do índice mínimo para a classificação do brasileiro e a gente vai fazendo simulações da competição durante os treinamentos para tentar chegar o mais próximo deste índice” , explicou Esnande Quirin, diretora de Esportes da Apodec.

Tanto esforço tem um motivo: de 18 a 24 de março, 20 atletas da Apodec vão participar da etapa regional do Circuito Brasileiro Paraolímpico, em Foratleza, no Ceará. Eles vão competir nas modalidades atletismo e halterofilismo.

A largada foi dada e a meta é superar o resultado do ano passado, quando ganharam  50 medalhas e alcançaram mais de seis índices nacionais. Na última etapa regional, realizada em Belém, o pára-atleta Wyllames Xavier conseguiu duas medalhas de prata e uma de bronze. “Como eu já ganhei três medalhas, então eu estou tentando ganhar pelo menos o ouro e também baixar o índice para o brasileiro”, contou.

Em Fortaleza, eles vão competir com mais de 400 para-atletas do norte e nordeste. Para se dar bem, tem gente exagerando nos treinos, pelo menos na teoria. “Esses dias está sendo pesado, treinando 24 horas”, brincou o para-atleta Augusto Xavier.

Fonte: PE 360 graus